Os Atributos da Bíblia

1 – A Bíblia é infalível.

A Bíblia, toda ela, não tem erros. Mais especificamente, seus manuscritos não contêm erros.

Em Salmos 19:7, a Bíblia diz a respeito de si mesma: “A lei do Senhor é perfeita.”

É perfeita, porque Deus escreveu a Bíblia e se ele é a autoridade última e se seu caráter é perfeito, então a Bíblia também é perfeita e é a autoridade última.
Veja: já que Deus é perfeito, os manuscritos originais, as transmissões originais da Palavra de Deus também precisam ser perfeitos.

Portanto, a Bíblia não possui erros, e essa é a primeira razão pela qual devemos estudá-la, é o único livro que jamais comete um erro, tudo o que diz é verdade.

A Bíblia não é só infalível, existe ainda outra palavra que usamos para descrevê-la:

2 – A Bíblia é inerrante.

A Bíblia não é só infalível como um todo, mas inerrante também em suas partes.

Provérbios 30:5-6 diz: “Cada Palavra de Deus é comprovadamente pura…Nada acrescente às palavras dele, do contrário, ele o repreenderá e mostrará que você é mentiroso.”

Portanto, cada Palavra de Deus é pura e verdadeira.
A Bíblia não é só infalível e inerrante, mas:

3 – A Bíblia é completa.

Nada precisa ser acrescentado à Bíblia.

Isso pode ser uma surpresa para algumas pessoas, pois há os que acreditam que hoje precisamos de uma revelação adicional.

Existe uma teologia filosófica chamada neo-ortodoxia, que nos diz que a Bíblia era simplesmente um comentário sobre as experiências espirituais humanas de seu tempo e que hoje os seres humanos continuam tendo experiências espirituais.

Portanto, a humanidade precisa de outro comentário.

Um escritor afirmou que precisamos que uma Bíblia seja escrita hoje, assim como a humanidade precisou quando a Bíblia que temos em mãos foi escrita, porque precisamos que alguém comente o que Deus está fazendo agora.

Ele alegou também que, quando João ou Maria se levantam na sua igreja e dizem: “Assim diz o Senhor”

Eles estão falando com a mesma inspiração de Isaías, Jeremias ou qualquer outro profeta (J. Rodman Willians, The Era of the Spirit, Logos International, 1971).

Em outras palavras, essas pessoas alegam que a Bíblia não é completa.

Esse é o pensamento filosófico-teológico atual.

Vejamos o final do último livro da Bíblia, o livro do Apocalipse:

“Se alguém lhe acrescentar algo, Deus lhe acrescentará as pragas descritas neste livro. Se alguém tirar alguma palavra deste livro de profecia, Deus tirará dele a sua parte na árvore da vida e na cidade santa, que são descritas neste livro” (Apocalipse 22:18b-19).

A Bíblia fecha com uma advertência de não tirar nem acrescentar nada, e isso é uma afirmação de que ela é completa.
Ela é infalível como um todo, inerrante em suas partes e completa.

Uma quarta maneira de descrever os atributos da Bíblia consiste em dizer que:

 4 – A Bíblia é autoritativa.

Se ela é perfeita e completa, então é também a última palavra, a autoridade final.

Isaías 1:2 diz: “Ouçam, ó céus! Escute, ó terra! Pois o Senhor falou.”

Quando Deus fala, todos ouvem e obedecem, porque cabe a ele a autoridade final.
Podemos discutir suas implicações, suas aplicações e seus significados, mas jamais deveríamos discutir se ela é verdade ou não.

Em João 8, Jesus foi confrontado por alguns líderes judeus, e outras pessoas estavam presentes.

Os versículos 30b-31 dizem: “Muitos creram nele. Disse Jesus aos judeus que haviam crido nele: Se vocês permanecerem firmes na minha palavra, verdadeiramente serão meus discípulos.”

Em outras palavras: ele exigiu uma resposta à sua Palavra porque ela é autoritativa.

Em Gálatas 3:10, nós lemos: “Maldito todo aquele que não persiste em praticar todas as coisas escritas no livro da Lei.”

Isso é uma reivindicação tremenda de autoridade absoluta.

Tiago 2:9-10 diz: “Mas se tratarem os outros com parcialidade, estarão cometendo pecado e serão condenados pela lei como transgressores. Pois quem obedece a toda a Lei, mas tropeça em apenas um ponto, torna-se culpado de quebrá-la inteiramente.”

Violar a Bíblia em qualquer ponto significa quebrar a lei de Deus. A Bíblia é autoritativa em cada parte. A Bíblia é infalível, inerrante, completa e autoritativa.

Em decorrência disso, podemos afirmar também que:

5 – A Bíblia é suficiente.

A Bíblia é suficiente para várias coisas. Em primeiro lugar, ela é suficiente para a nossa salvação.

Em Timóteo 3:15, Paulo diz a Timóteo: “Porque desde criança você conhece as sagradas letras, que são capazes de torná-lo sábio para a salvação mediante a fé em Cristo Jesus.”

Acima de tudo, a Bíblia é suficiente para torná-lo sábio para a salvação. Pergunte a si mesmo: “O que é mais importante do que a salvação?” “Nada!”

Ela é a maior realidade do universo, e a Bíblia revela essa salvação.

Em segundo lugar, Timóteo 3:16 indica que a Bíblia é suficiente para a nossa perfeição: “Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino.”

Ela serve para a instrução, para os princípios da sabedoria, para os padrões divinos ou para a verdade divina, para a repreensão, o que significa que você pode se aproximar de alguém e dizer:

“Ei, você saiu da linha. Não pode se comportar desse jeito, existe um padrão, e você está fugindo dele.”

As Escrituras servem também para a correção, o que significa que você pode dizer a alguém: “Não faça aquilo, mas faça isto, este é o caminho certo.”

Você ensina, repreende, aponta o caminho certo. A Bíblia serve também para a instrução na justiça. Você aponta o caminho certo e diz como caminhar nele. A Bíblia é um livro fantástico. Ela pode se dirigir a uma pessoa que não conhece Deus, que não foi salva, e salvá-la. Então ela a instruirá, a repreenderá quando praticar o mal, mostrará a ela a coisa certa a ser feita e também como andar no caminho certo.

O resultado é declarado em Timóteo 3:17: “Para que o homem de Deus seja apto e plenamente preparado para toda boa obra.”

A realidade incrível da Bíblia é que ela é suficiente para dar conta de todo o recado.
Em terceiro lugar, a Bíblia é suficiente em sua esperança.

Em Romanos 15:4, lemos: “Pois tudo o que foi escrito no passado, foi escrito para nos ensinar, de forma que, por meio da perseverança e do bom ânimo procedentes das Escrituras, mantenhamos a nossa esperança.”

A Bíblia é a fonte de paciência e conforto, dando-nos esperança agora e para sempre.
Por fim, a Bíblia é suficiente em sua benção.

Penso aqui no texto incrível de Tiago 1:25: “Mas o homem que observa atentamente a lei perfeita, que traz a liberdade, e persevera na prática dessa lei, não esquecendo o que ouviu, mas praticando-o, será feliz naquilo que fizer.”

Leia e pratique, e você será abençoado.
Em Tiago 1:21, o apóstolo afirma que devemos “aceitar humildemente a palavra implantada em vocês, a qual é poderosa para salvá-los.”

O texto grego diz literalmente que a Palavra de Deus é capaz de “salvar sua vida”.

Em outras palavras, ela salvará sua vida se você aceitá-la. Creio que isso Tiago queria dizer que ela lhe dará a vida mais plena que você possa imaginar. Mas é também possível que um cristão que não obedeça à Palavra de Deus perca sua vida.

Em Coríntios 11, alguns dos cristãos de Corinto violaram a prática da Ceia do Senhor ou da Comunhão, e o Senhor os corrigiu.

O versículo 30 diz: “Por isso há entre vocês muitos fracos e doentes, e vários já dormiram.”

Ananias e Safira desobedeceram à ordem de Deus e caíram mortos em frente a toda a igreja (Atos 5:1-11).

Por isso, Tiago disse: “Aceitem humildemente a palavra implantada em vocês, a qual é poderosa para salvá-los.”

Todas essas coisas valem a Palavra de Deus.

CONTEÚDO EXCLUSIVO
Insira o seu email e receba gratuitamente Curiosidades Bíblicas, Estudos de Teologia, Dicas, Cursos e muito mais!
E-mail inválido! Confirme se está correto e tente novamente.
Quero Receber !!!
  • gmail.com
  • outlook.com
  • outlook.com.br
  • yahoo.com
  • yahoo.com.br
  • hotmail.com
  • live.com
  • icloud.com
  • bol.com.br
  • ig.com.br
  • terra.com.br

6 – A Bíblia é eficaz.

Leia as palavras de Isaías 55:11: “Assim também ocorre com a palavra que sai da minha boca: ela não voltará para mim vazia, mas fará o que desejo e atingirá o propósito para o qual a enviei.”

A Palavra de Deus é eficaz.
Uma das coisas incríveis de ser um professor da Palavra de Deus é saber que ela fará o que promete fazer.

Muitas vezes, eu me pergunto sobre os vendedores que vão de porta em porta tentando apresentar seus produtos que, às vezes, não funcionam corretamente.

Lembro-me da história de uma senhora que vivia no interior, e um vendedor de aspiradores de pó bateu à sua porta, com uma proposta arriscada.

Ele disse: “Tenho o produto mais maravilhoso que a senhora já viu na vida. Esse aspirador de pó devora tudo. Na verdade, se eu não controlar, ele engolirá seu tapete.”

Antes que ela pudesse responder, ele disse: “Quero fazer uma demonstração para a senhora.”

Ele foi imediatamente até a lareira e jogou as cinzas no meio do tapete. Tinha consigo uma bolsa cheia de coisas que ele também jogou no tapete. Então ele disse: “Quero que a senhora veja como ele irá aspirar tudinho.”

Ela ficou parada ali, atônita.

Finalmente, ele lhe disse: “Se ele não aspirar cada migalha disto aqui, eu comerei toda essa sujeira com uma colher.”

Ela olhou diretamente para ele e disse: “Bem, meu senhor, comece a comer, pois não temos eletricidade aqui.”

É duro quando seu produto é inoperável ou ineficaz, mas isso acontece com a Bíblia, ela é sempre eficaz, pois faz exatamente o que promete.

Essa é uma realidade incrível da Bíblia. Tessalonicenses 1:5 é um versículo maravilhoso sobre a eficácia das Escrituras: “O nosso evangelho não chegou a vocês somente em palavra, mas também em poder, no Espírito Santo e em plena convicção.”

Ou seja, quando você ouve a Palavra de Deus, não ouve apenas palavras.
Quando a Palavra se manifesta, ela tem poder, ela vem com o poder do Espírito Santo, e temos a garantia de que ela fará o que diz.

Até agora, vimos que a Palavra de Deus é infalível, como um todo, inerrante em suas partes, completa, de modo que não devemos nem acrescentar e nem retirar nada dela, autoritativa, pois é totalmente verdadeira e exige nossa obediência, suficiente ao ponto de ser capaz de fazer por nós tudo que precisamos e é eficaz, pois ela fará exatamente o que promete.

7 – A Bíblia é determinativa.

A Bíblia é determinativa porque a forma como você responde à Palavra de Deus determina a essência de sua vida e o seu destino eterno.

Em João 8:47, Jesus disse: “Aquele que pertence a Deus ouve o que Deus diz. Vocês não ouvem porque não pertencem a Deus.”

Em outras palavras, o que determina se alguém pertence ou não a Deus baseia-se em se ele ouve a Palavra de Deus ou não.

Coríntios 2:9 diz: “Olho nenhum viu, ouvido nenhum ouviu, mente nenhuma imaginou o que Deus preparou para aqueles que o amam.”

O homem jamais conseguiria imaginar o domínio de Deus e jamais conseguiria imaginar-se fazendo parte disso.
O homem, em toda sua humanidade, em seus próprios raciocínios lógicos, nunca poderia imaginar tudo o que Deus preparou para ele.

Mas os versículos 10-12 dizem: “Mas Deus o revelou a nós por meio do Espírito. O Espírito sonda todas as coisas, até mesmo as coisas mais profundas de Deus. Pois, quem dentre os homens conhece as coisas do homem, a não ser o espírito do homem que nele está? Da mesma forma, ninguém conhece as coisas de Deus, a não ser o Espírito de Deus. Nós, porém, não recebemos o espírito do mundo, mas o Espírito procedente de Deus, para que entendamos as coisas que Deus nos tem dado gratuitamente.”

E o versículo 14 acrescenta: “Quem não tem o Espírito não aceita as coisas que vêm do Espírito de Deus.”

Existem dois tipos de pessoas: as que aceitam as coisas de Deus e as que não as aceitam, ou seja, as pessoas que podem receber e aquelas que não podem.
As que não creem, não podem recebê-las, porque não têm o Espírito Santo, mas as que conhecem Deus têm o Espírito Santo e recebem a Palavra de Deus.

A Bíblia é o determinador último.
As pessoas que recebem a Palavra de Deus indicam por meio de seu entendimento que possuem o Espírito Santo, e isso prova que elas são cristãs.

Lembro-me de uma conversa com um homem que admitia continuamente que não entendia a Bíblia.

Ele não conseguia entender porque lhe faltava a única coisa necessária para entendê-la, o Espírito Santo que habita na alma.

Assim, a beleza, a glória e as capacidades da Palavra de Deus nos são apresentadas nestas palavras simples: ela é infalível, inerrante, completa, autoritativa, suficiente, eficaz e determinativa.

Agora, alguém poderia dizer: “Bem, é maravilhoso que a Bíblia alegue tudo isso sobre si mesma. Se tudo isso for realmente verdade, preciso descobrir mais sobre esses princípios. Mas como posso ter certeza de que tudo isso é verdade?”

Vivemos num mundo em que as pessoas não reagem muito bem à autoridade. Na verdade, todo nosso mundo se revolta contra a autoridade. Os jovens no Ensino Médio e nas faculdades lutam por vezes contra as diretorias. Em alguns casos, há um sentimento antigovernamental. É um tipo de um individualismo rude, cada um é seu próprio Deus.

Voltamos para: “Sou o senhor do meu próprio destino. Eu sou o capitão da minha alma.”

Não gostamos de obedecer à autoridade.
Então, quando você diz a alguém: “Eu quero lhe dizer que a Bíblia é a autoridade absoluta. Ela é absolutamente suficiente e eficaz.”
As pessoas entendem isso como algo rude.

Elas respondem: “Bem, como é que você sabe disso? Não aceitarei isso a não ser que você me mostre como.”

Então como podemos determinar que a Bíblia é verdadeira?

É claro, não há como provar que ela é verdadeira, mas existem alguns fatos convincentes que mostram que a nossa fé é sensata, e que a verdadeira Palavra de Deus está na Bíblia e pode ser absorvida pelo nosso coração.

Estudo Baseado no livro do “Como estudar a Bíblia” de John MacArthur.

Garanta grátis o seu Ebook 1000 Perguntas Bíblicas!

Pb. Leonardo Carlos

Meu nome é Leonardo Carlos, Desenvolvedor Web, consultor em Marketing Digital, Formado Teologia no Centro de Formação de Teologia – CEFORTE, Professor de EBD e Aspirante a Pastor na Igreja Metodista Wesleyana, casado com Suelen de Andrade, Pai do João Victor e Enzo Leonardo.

Website: http://teologianaweb.com.br

1 Comentário

  1. Pingback: A autenticidade da Bíblia em 5 Partes - Teologia na Web

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *